<  Voltar à página Spiritus International


A ALMA e o EU SUPERIOR
- a mais linda história de amor do mondo -

O método de desenvolvimento espiritual rápido

de Răzvan Alexandru Petre

 

NOÇÕES TEÓRICAS SOBRE A ALMA E O ESPÍRITO

Deus e o homem

No centro do homem é a alma. No centro da alma é o Espírito. No centro do Espírito é Deus.

Deus é o ponto sem dimensão donde originam todos os seres e as coisas. Em Deus nos encontramos todos.

 

O corpo, a alma e o Espírito ficam nos diferentes níveis de vibração, que necessitam uma abordagem adequada. Não possa conhecer a alma pelos métodos biológicos, apropriados para o corpo. Não possa conhecer o Espírito pelos métodos psicológicos, apropriados para a alma. Não possa conhecer Deus pelas leituras espíritas ou pela viagem astral... Algumas pessoas tiveram as experiências místicas em que O encontraram Deus «face a face». Seu espanto era infinito. Todavia, ainda uma distância continuava os separar.

Há um estado supremo, quando possa reunir-se completamente com Ele. Como chegar ali, como é que entrar na Divindade, minha alma? Em amando seu Espírito...

 

CONFUSÕES LINGUÍSTICAS

Há uma literatura espiritual em todos os idiomas da Terra. É possível surgirem as confusões linguísticas entre «alma» e «Espírito». Eis algumas:

- As traduções dos textos do Extremo Oriente dizem «Espírito», mas denotam a mente, o pensamento. Em francês «homme d’esprit» significa uma mente brilhante.

- Em inglês e em português, muitas vezes, a palavra «alma» quer dizer o Espírito.

- Também, se usam a palavra «alma» de par com a mente, exprimindo as emoções, respectivamente, as ideias.

- No cristianismo, a palavra «Espírito Santo» é sinônimo de fato com a Graça de Deus ou com os Espíritos Superiores, embora a dogma diga que Ele seja uma pessoa.

- Alguns filosofam, em geral, sobre o «Espírito», dando-lhe um sentido indefinido ou aquele de Deus.

- Na psicologia, o «eu» e o «si mesmo» se refere à alma, a exceção na psicologia transpessoal, onde o «si mesmo» significa o Espírito. No este artigo o Espírito, o Si mesmo e o Eu Superior são sinônimos.

- Em algumas escritas espirituais a palavra «consciência» denota o Espírito. Em minhas escritas uso a palavra «consciência (humana)» como a parte da alma, por razões de claridade.

 

CORPO – ALMA – ESPĺRITO

O mais simples esquema de ser humano, bem conhecido e aceito no Ocidente, e a tríade corpo+alma+espírito. Separemos cada nível, didaticamente, em duas partes essenciais:

O CORPO = o Cérebro + o resto do corpo

A ALMA = a Consciência (humana) + a mente

O ESPĺRITO = o Núcleo (A Consciência Divina) + o perispírito energético

Constatemos a analogia evidente entre os três níveis com a mesma estrutura bipolar: o Núcleo (a centelha divino) é para o perispírito o mesmo que a Consciência é para a mente e o mesmo que o Cérebro é para o resto do corpo – isto é, o centro de comando.

O perispírito é energia, ação, sensibilidade, também como é a mente e o corpo – isto é, a parte sensitivo-motora. Ao contrário, a Consciência é o espectador e o maestro da mente, assim como o Núcleo guarda as ações do perispírito.

Uma outra analogia importantíssima: O Cérebro e uma parte da mente (do nível seguinte), tanto como a Consciência e uma parte do perispírito (do nível seguinte), e o Núcleo é uma parte do nível seguinte – a Divindade. A Consciência humana é um fragmento da parte a mais requintada do perispírito central (o mais próximo do Núcleo), tanto como, metaforicamente falando, «a centelha divina» (o Núcleo) se origina do Grande Foco da Divindade.

 

À HORA DE ENCARNAR, O ESPÍRITO CRIA UMA ALMA

Os espíritos vivam naturalmente no mondo astral. Mas eles são curiosos viver no mondo físico, e por isso eles reencarnam em corpos de quaisquer entes biológicos lhes se ofereça, adequado a sua categoria evolutiva: um insecto, um pássaro, um animal, um homem... Cada vez, a experiência está impressionante. O Espírito é um ser naturalmente dilatado, mas Ele aceita as limitações duma forma física, temporariamente, para gozar de experiência terrestre. O Espírito dirigirá o corpo por meio da alma. A alma é um ser híbrido, ela inclui tanto a mente (o aspeto limitado), quanto a Consciência (o aspeto ilimitado), de tal modo que ela pode intermediar entre o mondo físico e o Espírito. O Espírito não possa negar ou anular sua eternidade, indestrutibilidade, potencialidade infinita. Por isso, Ele cria uma alma adequada à vida limitada, mortal. As sensações da alma são recebidas instantaneamente pelo Espírito, mas pela sensibilidade específica dele.

O dever do homem é de viver, ainda que não entenda porque ele nasceu e porque tem de morrer. Isso sabe bem seu Espírito. A alma do homem tem de obedecer aos ditames do Dono e de gozar a vida, tal como ela está, boa ou ruim. O que aconteça quando o corpo não obedeça ao vontade (por exemplo, num caso de paralisia)? A pessoa seja deficiente. E quando a alma não obedeça ao Espírito, como seja ela? Insurgente, infeliz, deficiente...

O Espírito não é um ditador que tem vindo de alhures a força. Ele é delicado e compassivo. Ele o mantém vivo o homem, desde o nascimento até a morte. Quando dormimos, o Espírito sai fora do corpo - então a alma e o corpo são quase defuntos. O Si Mesmo é uma fonte desconhecida de força, criatividade, proteção, consolação. E sobretudo, é a fonte da nossa Consciência.

A alma diz ao corpo: «Vá naquela direção!», e o corpo sabe ir sozinho, sem ajuda. Da mesma maneira, o Eu Superior dá à alma indicações essenciais, conselhos e decisões. O segundo os põe em prática, sendo mais habituado com as detalhas de circunstância. O sábio iluminado escolha e atua imediatamente, totalmente inspirado, sem dúvidas ou reconsideração. Sua vida flui sem turbulência. Por mais que a gente passe-lhe rasteiras, a alma os evita instintivamente. Goza de liberdade sem se sentir esmagado por ela, como se sentiam os filósofos da corrente existencialista... A maioria das pessoas não é livre e, infelizmente, nem sequer queiram ser. Seu comportamento e atitudes são sempre marcados pelos esquemas emocionais e mentais, condicionamentos e limites próprios – isto é, eles são os prisioneiros e os cúmplices do ego.

 

A PRÁTICA DE DEVOÇÃO AO EU SUPERIOR

A ALMA É SOZINHA

«Porque nasci? Quando morrerei? Qual e meu destino?» – está perguntando-se a alma, sem encontrar uma resposta. Às vezes, outras almas vêm e saem, fazendo tua vida mais linda um espaço de tempo. Andas obtendo umas ajudas para as tarefas mundanas, mas depois ficas só. Ninguém não entra na sala de tua alma. Ou talvez… uma Luz te guarde por cima. É teu Eu Superior, o Espírito que Deus te o deu quando te criou.

Quando chames os Espíritos superiores, os Santos, os Anjos para te iluminar, para te acompanhar, Eles vêm depressa e te deleitam com seu sublime energia. Mas, no fim de contas, os Espíritos superiores têm de sair aos seus deveres cósmicos e te deixam só de novo. Então teu desespero possa ser esmagador, porque te voltas na velha carapaça do ego limitado, receoso, infeliz. São Siluane de Athos o confessou isso, leias como ele se lamentou por faltar o Espírito Santo!

 

O ESPĺRITO E A LUZ DA ALMA

Mas porque tu não chames o teu próprio Espírito? Ele é contigo 24 horas por dia, seu único trabalho é de ficar contigo. Ele é um Espírito superior e pode oferecer-te muitas bençoes. Se Ele não queira, nenhum guru, nem sequer Deus não possa iluminar-te. Teu Espírito é soberano, não possas realizar nada sem Seu licença e ajuda.

Se tu, a alma humana, Lhe suplicares, Ele não te recusará todo que possa fazer para ti, porque te ama infinitamente. Vós sois como dois irmãos siameses que olham em direções diferentes. Vossa origem comum vos faz, muitas vezes, sentir e pensar identicamente.

O Espírito é desprendido de problemas humanos insignificantes. Ele tem uma visão muito mais ampla, julga os eventos na perspectiva cósmica. Tu, a alma, não és nem o início, nem o fim da eternidade, mas sim só uma etapa dos milhões de encarnações os quais tem tido o Eu Superior. Ele conhece muito melhor sua evolução e interesses. Tentes que compreendas e O aceites tanto como Ele é!

O Espírito do grande filósofo e yogui Sri Aurobindo reencarnou no corpo do célebre cantor e dançarino Michael Jackson. Pelo que sabemos, Michael nunca experimentou a iluminação  espiritual. A teria podido obter rapidamente. Mas seu Espírito não o encorajou a esta pesquisa. Ele já tinha acabado o estágio de místico no corpo do sábio indiano... Uma questão de sorte.

Se lês esta oração e queres que te ilumines espiritualmente, é provável ter uma boa sorte. Estas simples palavras te vão ajudar.

 

A PAZ DO ESPĺRITO

Estiveste procurando por pessoas, livros, lugares quais te deem a paz do coração. Às vezes a encontraste, mas a passou com rapidez e ficaste só, na avalancha da realidade diária. Isso aconteceu porque não julgaste que a paz de teu coração venha mesmo do Espírito interior. Os outros são somente as oportunidades para ficares em silêncio e sentires Seu paz.

A mais bela relação amorosa que possas ter é a com teu próprio Espírito. Ela é perfeita, sem disputas, comunicando-se instantaneamente todo entre vós, sentindo-te ótimo com Ele. E também Ele se sente ótimo contigo, pois és Seu criança, a qual tem moldado através dos anos. Além disso, vosso amor nunca morrerá. Tal é o amor do Espírito pelo homem e o amor da alma de Si Mesmo.

O mais difícil é de aceitar que Ele existe, que Ele não é uma ficção ou auto-sugestão. Aceites esta «hipótese» com toda a confiança e um milagre acontecerá contigo. Tens um alter-ego magnífico, grandioso. «My Self is Fantastic!» É como se um mendigo se olhasse no espelho e visse um esplêndido rei. O pobre homem, que choque!

O Espírito é o imperador de tua vida, o guru de tua sabedoria, o dador da iluminação espiritual. Se a queres, a peças-Lhe a Si. Ele consentirá e te fará feliz. Não é necessária uma preparação peculiar ou um certo momento astral. A todo o momento há a Graça Divina aqui, dentro de ti. Não podes o ordenar, mas sim podes o pedir. Sempre, muitas vezes. Já te sentes muito melhor. Vais entrando em contato com o Mistério... Deixes-Lhe o direito de te dar o que Ele escolha. Não reclames outra coisa! Tenhas confiança em Seu discernimento e amor infinito por ti.

O Espírito e um ser muito semelhante a ti, mas mais puro. É assim que tu aparecerias se vivesses no Paraíso dos anjos. Agora, uma simples alma que és, vives entre pecadores e isso tem cortado tuas asas. Mas o modelo ideal está presente cá, calando em ti.

Ames teu Si Mesmo! É o mais agradável mandamento. Ele é teu Deus individual. Se não pudesses aproximar-te a este Deus tão real, quem também é teu Espírito Santo, como poderias aproximar-te ao Deus Supremo macrocósmico? Adores teu Eu Superior, como adores ao Senhor Jesus, a Virgem Maria ou outras personalidades celestiais. Eles são ali, algures, vêm cá e te apoiam, mas às vezes parece te não ouvirem. Lhes pedes ajuda, mas ainda só fazes as coisas. Isto se sucede porque os Santos querem revelar que o maior apoio é mesmo dentro de ti. Não o dizem direitamente, por delicadeza, mas sim te deixam intuir e experimentar a força interior infinita. Querem reforçar-te tua confiança em Si Mesmo. O Espírito nunca te deixará só, o Seu lugar está em teu ente, para sempre.

 

AMES DE SI MESMO!

Qualquer caminho espiritual guiará à mesma realização: o Eu Supremo, nosso Deus individual. Nem a podemos evitar, nem nos leva em outro lugar – se fosse um caminho autêntico e seguido corretamente. «Ninguém não pode chegar a Deus exceto por intermédio de Si Mesmo!» Então, porque não encurtemos o caminho, em nós indo direitamente ao Espírito interior?

Este seja um «caminho de devoção», como pode denominar alguns. De certo modo, é verdade – vais entrando num diálogo piedoso com Ele, te sentes abraçado por Seu amor quente, Lhe rogas trazer a Si, para juntar-te com Ele. Todavia não é um caminho que pareça estranho. Nem sequer não é um «método», porque não tens de fazer absolutamente nada, mas sim amar-te mais. Em lendo estas frases já sentes ótimo, estás sorrindo em interior, te estás sentindo aliviado, levantado, porque são as palavras que vêm da própria intuição, elas exprimem uma verdade que não vais contestar.

Logo que descobrires totalmente teu Deus individual, te revelará o fato que também os outros seres têm o mesmo Deus individual. Porque Deus é único. Agora, enquanto ainda buscas o verdade, te sentes separado do mondo. É normal, não te enfureças! A sabedoria vem dum viver cada vez mais vasto.

Comeces o diálogo com o Espírito Divino interior! Sentes o júbilo de comunhão com Ele! Deixes as teorias, esqueças-lhes e deixes-te enchido de alegria por reencontrar-te com a alma de tua alma!

 

COMUNHÃO EM SILÊNCIO

A alma seja como uma esponja embebida com o fluido do Espírito. Estais unidos desde o princípio. Já vos identificais um com o outro sob muitos aspectos. Julgas que são teus, mas também são Seus. Vossa semelhança já está realizada numa porcentagem de 99%! É tão fácil completar o resto... Precisas mais um pouco de benevolência. Boa sorte, já a tens. Deus está tranquilo em ti, esperando-te. Entra no silêncio!...

Comunicas consigo no silêncio. Ele já sabe todas tuas aflições. Não há nada de novo para Lhe dizeres. Já sabe o que queiras desde que surja a intenção de falares. Abre a boca e... faças calar! Já tendes dialogado. Se tiveres uma questão confusa, até quando a expressares, o Espírito já terá replicado. A pergunta morreu antes de nascer. Se quiseres fazer qualquer coisa que não está bem, o Espírito já te transmite o sinal de alarme e então mudas de ideia sem demora. Tal modo vós dois cooperais. De fato, tens unido a Ele. Não tendes desacordos e transformas em realidade Seu sabedoria.

Todavia, a alma não vai perder suas imperfeições humanas num momento. Elas também têm o direito de existir, até acabará a energia que lhes deste há muito tempo. Através de intensa auto-vigilância, a tendência para faltar irá eliminando-se gradualmente. A alma tem um aliado mais forte que qualquer inimigo: ele é o Eu Supremo! Sobre sua influência, os milagres são possíveis. Mas eles não são espectaculares, senão íntimos, são milagres privados. O maior de todos é o que Deus não está longe, no Universo, mas tão perto e acessível! O Espírito é teu Deus individual. Goza de este milagre, só teu milagre! Tu e o Eu-Deus, um amor secreto, total, imaculado, absoluto... Estás vivendo o mais linda história de amor do mondo.

 

O PODER DE AMAR A SI MESMO

Mas a mente interfere: «Toda a gente ama a si mesmo». Talvez não toda. O amor não se refere a egotismo, mesquinharia, agressividade. Em danificando os outros para teu bom, proves que estás subjugado por o corpo e desprezas o Espírito. Se és mal aos outros, é certo que não te amas. Vale a pena que não te ames?

Logo que amares teu Si Mesmo, este amor regressará a ti imediatamente, dez vezes maior. Começarás a amar-te intensamente, com todos teus defeitos. Quererás purificar-te, para semelhar-te ao ícone do Espírito que te guarda. Aceitarás teus limites humanos, com amor, esforçando-te para os superares, também com amor. O mesmo amor se refletirá nos outros, as almas como ti. O amor passará além de tudo e abraçará toda a natureza no teu coração. O amor é como uma reação termonuclear benéfica, branda, carinhosa – uma vez que nascer, não parará mais, se dilatará ao infinito...

Não e o primeiro encontro com teu Eu Superior. Mas outrora não o prestaste atenção – ao máximo notaste um murmúrio de arrependimento, uma brisa de alegria, ou algo parecido... Só agora O percebes verdadeiramente. Estás perdidamente enamorado por Ele, estás completamente encantado. Teus pensamentos e sentimentos estão consagrados apenas por Ele – que prazer, que fascinação, que ternura! Te tornas uma outra pessoa. Estás amando e te sentes amado eternamente. Não é possível vos separar. Ainda que às vezes ensaies zangar com Ele por tuas razões egoístas, não dura muito. Cortarás tu mesmo o bocado de amor que te embalsama e te enche de néctar celestial?... Por conseguinte, voltas a sorrir e vós rides juntos de novo. É melhor sejas feliz, não é? É muito simples: gozes da presença do Eu interior!

 

Para céticos

O EU SUPERIOR É REAL

Se és um homem pragmático e racional, possas rebentar: «Como que me apaixone por um fantasma? Eu poderia apaixonar por uma pessoa visível, mas não por uma ideia abstrata.»

Querido, por tantas vezes que apaixonaste de uma pessoa, é verdade que tuas ideias de princípio mudariam ulteriormente, porque a pessoa era diferente do que as tuas esperanças?! Não foi a culpa de ninguém. Os homens são imperfeitos. Tu apaixonavas de um homem ideal, de um produto de tua imaginação. Claro que podes continuar a ama-lo – mas é uma afeição distinta, amistosa, não é aquele amor adolescente do começo, aquela «projeção» psicológica. É verdade, a pessoa querida é palpável, mas que acontecerá se ela morrer? Morrerá também seu amor? Ou continuarás a amar um «fantasma»?

O amor humano intenso é tão «ideal» e «abstrato» como o amor de Si Mesmo. Mas o segundo não se extinguirá jamais, senão irá amplificando-se. O amor de Si Mesmo não é ciumento. Ele te encoraja, minha alma, amar a gente, a natureza, a Deus... Quanto mais propagares o amor, tanto mais satisfeito se tornará o Eu Supremo.

Se és um verdadeiro homem pragmático e racional, deves admitir as vantagens do amor a Si Mesmo. Também a falta das desvantagens. Não perdes nada se fazeres uma tentativa. Venhas, ames-te! Demonstres que és inteligente e descanses numa presença do Espírito! Em calando e sorrindo...

O Espírito é um ser real, majestoso. Assim dizem todas as tradições espirituais e os sábios do mondo. Já ouviste isso, mas creste que os falaram de ti, a alma limitada. Duvidaste, com justeza, porque sabias bem teus defeitos... Foi uma confusão. Tu não és aquele ser – o Si Mesmo! Ainda não. Mas Ele existe dentro de ti. Tem direito a tua atenção, admiração e, sobretudo, teu amor. Faças uma tentativa para admitir a existência dele! É muito simples.

O Eu Superior não é uma auto-sugestão. Mas se afirmares «Ele não existe», então sim, tentes uma auto-sugestão. Aceites que Ele pode existir! Ninguém não vai saber o que pensas, não vais ter vergonha de nada. Agora te consideras um «livre-pensador». Muito bem, então não creias cegamente que Ele não exista, mas submetas à prova em teu foro interior. Ai não é ninguém a quem tenhas de ostentar teu ceticismo. Por favor, não me creias, pesquises por ti mesmo...!

 

Para os pesquisadores espirituais mais avançados

ILUMINAR-SE E LIBERTAR-SE

Os textos da sabedoria falam da liberação do Espírito da roda de nascimentos e mortes. Mas essa é o problema dele... Não é um propósito razoável para ti, a alma mortal. Como tu saibas que teu Espírito não quiser reencarnar? Tu podes esperar um outro tipo de liberação - libertar-te do ego e seus males, para experimentar a espontaneidade do Espírito.

Não consideres a iluminação espiritual como um troféu exposto na vitrina do super-homem. Ela não te levanta por cima os outros, mas te torna mais compreensivo, compassivo, piedoso, e também te dá o poder de vencer quaisquer obstáculos, em nome e para louvar ao Eu Superior.

A experiência da iluminação é uma oportunidade especial que passa e ninguém não sabe se retornará mais. O importante é que tua vida de cada dia sofra uma transformação. Tens diminuído o próprio ego? Te tens aliviado, te tens tornado num receptáculo aberto para o Espírito? O importante é que te libertes, não que te extasies. És capaz de renunciar a iluminação a favor de te libertar?

A libertação resulta de se abandonar à vontade, sabedoria e amor do Eu Supremo. Deixes a ideia fixa que, se não vivesses um êxtase, uma experiência fora do comum, não poderias juntar-te com o Eu Superior supraconsciente! Possas manifestar o Si Mesmo também sem êxtase. Através da submissão sincera a Si, através da quanto mais profunda devoção...

Se não pudesses abrir-te consigo, a experiência do êxtase poderia fazer com que sentires o resto do tempo frustrado, nostálgico, fazer com que te evadires da realidade ordinária, fazer com que levares-te a dependência mística. O risco cessaria se só compreendesses a missão e os limites da alma e vivesses em paz contigo mesmo, em abandonando-te à vontade suprema.

O mais simples é que queiras libertar-te, isso sim depende de ti para unir-te ao Espírito. A possibilidade da iluminação é fortuita, ela não depende de ti. Cambies tuas prioridades: busques o libertar-te, não a iluminação! A liberação é um estado da liberdade interior, alegria, falta de medo, amor para tudo – são os efeitos da abertura completa e transparência à luz do Espírito. Estes são causados pelo amor de Si Mesmo.

 

NOÇÕES GERAIS SOBRE A ILUMINAÇÃO

Como definimos a iluminação espiritual?

Possas designar a alma como a menina do Espírito. Quando a criança pedir insistentemente a verdade e estar pronto para a aprender, o pai a dir-lhe-á. Tal seja a iluminação.

Possas designar o Espírito como o menino da alma. Em vendo o mondo com os olhos puros do Criança Interior te tornas iluminado.

É impossível explicar-se os princípios da televisão a um aborígene primitivo. Da mesma maneira, não há noções para descrevermos uma experiência sobremental, transpessoal, mística. Contudo, podemos a definir usando os termos que já foram introduzidos anteriormente.

O Núcleo Divino também é chamado por diversos eruditos e sábios: o Coração, ou o Espaço, ou o Vazio, ou o Presença, ou Sat-Chit-Ananda, ou Atmã. Ele é de tipo não-dual, isto é, se identifica simultaneamente com toda criação e também com Deus.

A Consciência humana se junta à mente por funcionar, mas origina na camada o mais elevado do perispírito, a que é o mais perto do Núcleo Divino. Assim, a Consciência humana possa percorrer todo espectro dos estados psíquicos possíveis, de o nível mental dual (onde ainda existe a relação Eu e o universo) ao nível não-dual, de Divindade (só em caso de iluminação espiritual).

Não podemos afirmar do Núcleo Divino do Espírito nada, exceto que Ele tem a natureza de Deus, sendo um fragmento do holograma de Deus. A primeira camada central do perispírito (a por meio de que o Espírito é consciente do Universo exterior) define a identidade única do Espírito entre vários espíritos – o sentido misterioso de «Eu» (sânscrito, Aham) -, o que chega a alma numa forma mais vulgar e penosa, chamado «ego». O sentido que o Eu seja separado das outras coisas e fenômenos é a causa da dualidade. Em entrando no Núcleo Divino, este sentido esvai-se, sendo substituído por um estado a qual deram-lhe vários nomes: «Eu sou», ou «Eu sou isso», ou «Sem-segundo». Isto é a iluminação ou o despertar espiritual.

A iluminação vem da Graça do Espírito, quando Ele permite a sua alma gozar-se um pouco de Seu estado natural beatífico. O Si Mesmo é o Maestre, e a alma, o discípulo. Se a iluminação desequilibrasse a alma de qualquer modo, o Espírito demoraria para a oferecer-lhe. O dever da alma é funcionar eficazmente, como um intermediário dos interesses superiores do Espírito: ser receptiva a realidade, mas também às intenções do Espírito; agir sobre o ambiente, mas também transmitir os dados da realidade ao Espírito.

Vivamos a vida assim como seja! Necessitamos dos homens equilibrados e realistas, mas o mesmo tempo cônscios de sua necessidade espiritual e muito intuitivos. A gente é curiosa experimentar fenômenos paranormais, fora do comum, sensações psíquicas fortes. Há vários estados de êxtase, mais ou menos úteis à alma ingênua e curiosa. Dos esses, há só um que o podemos chamar o estado supremo da iluminação, da beatificação espiritual. Mas poucas pessoas possam gozar-se de isso… Só Deus sabe quem merece este presente supremo.

 

Iluminação sem limites

O místico indiano Sri Aurobindo enriqueceu a espiritualidade com um conceito revolucionário e verdadeiro: a iluminação não é o fim da busca espiritual depois de que nada estiver de fazer. Ao contrário, quanto mais a gente se eleva ao supraconsciente, tanto mais se pode e tem de descer ao abismo de inconsciente, para purificar os sedimentos psíquicos acumulados através de milhões de anos de evolução inconsciente. Isto é um «yoga integral» ao qual só os iluminados possam se entregam. Ele mesmo obteve a iluminação em três dias, mas passou o resto de sua longa vida iluminando as trevas do inconsciente pessoal e também coletivo.

No ocidente, o psiquiatra John Welwood, um pioneiro da psicologia transpessoal e praticante da meditação budista, iniciou uma «psicologia do despertar», em que se trata simultaneamente dos três campos distintos:

1 - O acesso à dimensão suprapessoal, por meio da meditação contemplativa.

2 - À medida que a Consciência se estende além das fronteiras da personalidade, muitas vezes isso fazem emergir do subconsciente modelos velhos emocionais e mentais nocivos, que frequentemente se manifestam com uma força impetuosa. É necessário os aniquilar através do auto-conhecimento. Se não se resolver os problemas psicológicas, os ativarão distorções no desenvolvimento espiritual, como se pode ver, desgraçadamente, nos casos duns líderes religiosos ou maestros espirituais.

3 - A prática espiritual nos induz às vezes uma certa frieza emocional às outras pessoas (seja um isolamento, seja uma indiferença, seja um complexo de superioridade etc.). Porque nossas relações com os outros são o barômetro supremo do progresso espiritual, precisamos nos tornar conscientes de elas, otimizando-os sabiamente.

Em conclusão, o aperfeiçoamento do ser humano, em todos níveis, rumo ao infinito, é sem limites. A viagem espiritual é mais importante que o destino.

 

Contraindicações

As pessoas que ouvem vozes na cabeça possam as confundir com a voz do Espírito. Em geral, o Espírito fala por intermédio da intuição e também oferece uma boa disposição, confiança, carinho. Tal pessoas precisem de mais discernimento e autocontrole, para não serem ridiculizados por uns espíritos inferiores. Somente quando conseguirem fazer isso, a telepatia delas transformaria dum embaraço, como está agora, num raro oportunidade para dialogar com o Eu Superior.

 

Palavras finais

O método já mencionado integra os mais elevados ensinamentos de jnana-yoga com aqueles espíritas do ocidente, sob a égide de bhakti-yoga. É uma síntese espiritual para todos e, sobretudo, muito eficaz. Ela te dispensa das confusões de ideias sem perda de tempo. Aproveites a ocasião! Sentes-te tranquilo, feches os olhos e envies amor a teu Si Mesmo. Faças isto por cinco minutos por dia! E sempre quando quiseres – quanto mais frequente, tanto melhor para ti...

 

Răzvan Alexandru Petre
25 de Setembro de 2010
Brasov, România


© Todos os direitos reservados

Stats